quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Solidariedade

Devem se perguntar porque não faço um post faz tempo, e porque os meus longos textos acabaram. Bom isto deve-se ao facto de andar um bocado sem paciência, para tudo, inclusive para vir aqui escrever. Estou sem carro, entretanto o assunto do esquentador resolveu-se, mas porque não podia ficar só com um problema, resolvi ficar constipada para animar as coisas. O que eu tenho feito entretanto!? Basicamente nada, vivo enfiada em casa porque sem carro não se faz muita coisa, então tenho dado asas ao meu lado fada do lar. E parece que não mas, há imensas coisas que se podem fazer em casa, cozinhar refeições, fazer doces, limpar pó, limpar chão, lavar roupa, estender roupa, passar roupa a ferro, lavar loiça, etc. Mas uma coisa que me ocupou muito tempo foi o facto de ter tirado tudo do meu guarda-roupa e ter resolvido reorganizar a roupa. Ora, tendo em conta que sou fanática por roupa, passei boa parte do tempo a rever todas as peças que tenho, algumas ando a arranjar, outras foram para lavar (ou seja, mais tempo que ficou ocupado a lavar, estender, passar e dobrar para voltar a por no armário), e outras peças estão de parte. De momento tenho tudo perfeitamente organizado, alinhado por cores, separado por estilos, e tudo a cheirar a amaciador de pêssego. No entanto não vim aqui para escrever sobre como ocupo o tempo, até porque seria pouco interessante, mas sim sobre no que deu esta minha actividade. Como disse, deixei umas peças de lado, e porquê?! Primeiro porque acho que já não faz sentido continuar a te-las, mas sobretudo porque todos os anos selecciono roupa para doar, e este ano não foi excepção. Apesar de considerar o meu guarda-roupa o meu templo, e apesar de adorar roupa, consigo abdicar do que me faz feliz mas que não deixa de ser fútil, para fazer alguém feliz e quente. Vem o Inverno, e a quantidade de pessoas que estão ai na rua a passar frio é algo que me perturba bastante, e apesar de ter a noção que a minha roupa não vai directamente para essas pessoas, decerto que vai para uma criança ou uma mulher com as mesmas caracterisiticas que eu, e concerteza vou contribuir para que alguém esteja mais quente neste e nos próximos Invernos. Claro que aconselho a todos a fazer o mesmo, no entanto sei que nem toda a gente o pode fazer, e apesar de tudo, também é uma questão de paciência dispensar tempo para ver roupa. Mas solidariedade devia estar presente no espírito de todos, e o egoísmo só reflecte a sociedade em que vivemos hoje, e que eu não quero fazer parte. Para quem se interessa sobre estas coisas de solidariedade, vou partilhar o que costumo fazer e que tenho noção que é pouco e que podia fazer muito mais, mas acho que mais vale pouco do que nada. Bom, para além de doar roupa anualmente, também todos os natais troco os meus pontos tmn por um valor em dinheiro que vai ser doado à UNICEF, é simples, prático, pode ser feito em casa, e concerteza vai ajudar alguém, porque se pensarem bem, eles com €5 conseguem medicar alguém ou alimentar uma criança por uma semana. Entretanto também queria dar sangue, e apenas queria, porque querer nem sempre é poder. Quero com isto dizer que apesar da minha intenção eu não o posso fazer, porque é necessário que a pessoa que vai doar sangue tenha no mínimo 50kg e eu tenho um pouco menos. Era mesmo uma coisa que queria fazer muito e deixei passar quando tive oportunidade, mas ainda assim fica aqui a dica para alguém que fique sensibilizado e resolva doar sangue. Também não é nada por aí além, existem vários bancos de recolha de sangue, basta pesquisarem na net. Acho que alguns institutos que fazem análises de sangue também recolhem para doação, mas qualquer coisa pesquisem na net. E por fim, sabem aqueles bancas que existem nas superfícies comerciais que normalmente pedem para vocês comprar alguma coisa e que o dinheiro reverte para uma instituição de solidariedade?! Bom, todos os anos compro uma ou duas coisas dessas bancas, nada de especial até porque nunca fico com o que compro, ou seja, digo que dou o valor do brinquedo mas fiquem lá com o peluche que sempre dá para uma nova venda.
Conclusão, podem perfeitamente argumentar que tudo que faço, eu não vejo o resultado final, e que secalhar o dinheiro nem vai para onde eles dizem. Mas nunca se sabe, e mesmo que o dinheiro seja "desviado", ao menos sinto-me bem comigo própria porque pensei em alguém, e no fim, com sorte, até posso estar a ajudar alguém.

Bom, vou continuar a fazer o nada, e faço o nada como ninguém.
Beijos, Mia

Sem comentários:

Enviar um comentário